sexta-feira, abril 3

Fugacidade atrelada ao tempo


Fugacidade atrelada ao tempo


A doçura expande-se
Lentamente
Através da retina
Conectada à realidade...
Na luz
Posso enxergar o além
Farejando o sentido de morte
A espreitar no canto
Dos seus olhos
E ao deitar
Ao longo da minha vida
Paira um desejo derretido
De tocar suas mãos alienadas
Desconectadas do si mesmo
Ensimesmadas
Como verdadeiras entidades autônomas.


Elizabeth

Nenhum comentário: